O RIO DE MACHADO DE ASSIS


Resultado de imagem para rio de machado de assis


Joaquim Maria Machado de Assis, poeta, romancista, cronista, dramaturgo, contista, folhetinista, jornalista e crítico literário - nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 21 de junho de 1839 de pais ex-escravos mulatos alforriados. Ainda pequeno ficou órfão de mãe e o pai casa-se pela segunda vez. Para ajudar nas despesas da casa trabalhou vendendo doces. Sua condição social impossibilitou que tivesse uma educação formal e nunca frequentou uma universidade. 

Sua formação foi autodidata e sua ambição intelectual o levou a ser um dos maiores nomes da literatura brasileira com 9 romances, 9 peças teatrais, 200 contos, 5 coletâneas de poemas e sonetos e mais de 600 crônicas.

Em 1858 começou a trabalhar como revisor na livraria de Francisco de Paula Brito e logo depois passou a colaborar com vários jornais e revistas, entre eles Revista Ilustrada, Gazeta de Notícias e o Jornal do Comércio.

Seu primeiro livro de poesias, "Crisálidas" foi publicado em 1864 e em 1867 iniciou sua carreira como funcionário público e indicado pelo jornalista e político Quintino Bocaiuva tornou-se redator do Diário Oficial e rapidamente ganhou uma promoção para o cargo de assistente de diretor.

A portuguesa Carolina Augusta Xavier de Novais tornou-se sua esposa em 1869. Ela o estimulou a seguir a carreira literária, e em 1872 publicou seu primeiro romance "Ressurreição".

Como funcionário público, sua ascensão foi rápida. Foi nomeado como primeiro oficial da Secretaria da Agricultura em 1873 e depois de três meses assumiu a chefia de uma seção. 

Em 1873, o Imperador Dom Pedro II concedeu a Machado de Assis o grau de Cavaleiro da Ordem da Rosa por seus serviços às letras nacionais.

Como um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras em 1896, foi eleito por unanimidade para ser o primeiro presidente e ocupou a cadeira de número 23.

Após o falecimento da sua esposa em 1904, Machado raramente saia de casa e sua saúde foi piorando por causa da epilepsia. E em homenagem ao seu primeiro e único amor escreveu o poema "A Carolina". 

No dia 29 de setembro de 1908 o Brasil perdeu um dos seus maiores romancistas, Joaquim Maria Machado de Assis, e em seu sepultamento Rui Barbosa, representando a Academia Brasileira de Letras fez um discurso em sua homenagem.

Abaixo os locais na cidade do Rio de Janeiro onde Machado vivou, mais frequentou ou que usou como palco para seus romances:
  • Morro do Livramento

Resultado de imagem para casa onde nasceu machado de assis
O Morro do Livramento é um acidente geográfico localizado entre os Morros da Conceição e da Providência, próximo a região portuária da cidade do Rio de Janeiro. E quando Machado de Assis nasceu o domínio das terras da chácara no Morro do Livramento pertencia a família do Senador Bento Barrosos Pereira. Ali existiam o palacete dos proprietários, a capela e as casas destinadas aos escravos e trabalhadores livres.


Resultado de imagem para morro do livramento favela

A casa onde nasceu Machado de Assis ainda existe, mas em ruínas. Essa é a visitação menos aconselhável de se fazer por causa da violência nas favelas carioca. 



  • Lapa
Resultado de imagem para Rua da Lapa 264

Em 1874, durante 11 meses, Machado de Assis e sua esposa Carolina viveram por 11 meses num sobrado na Rua da Lapa 94 (atual 264). 
A Lapa é um bairro de boêmio no Centro da cidade  do Rio de Janeiro, que possui uma grande variedade de bares, restaurantes, boates e pub's temáticos, que atendem a todos os gostos de seus frequentadores. 


Resultado de imagem para arcos da lapa

A Lapa também é famosa pela arquitetura do cartão postal, conhecido como Arcos da Lapa, um aqueduto construído nos tempos do Brasil Colonial e que desde 1896 serve como via para o bonde que liga o Centro ao bairro de Santa Teresa.






  • Larajeiras
Imagem relacionada
Após seu casamento com Carolina, o autor viveu em um casarão na Rua Cosme Velho 18. Esse casarão não existe mais e em seu lugar foi construído um prédio. 

Laranjeiras é um bairro da Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro e um dos mais antigos da cidade, com ocupação iniciada no século XVII.

Próximo de onde era o casarão em que viveu Machado de Assis, está a estação do Trem do Corcovado, que durante 20 minutos faz um agradável passeio atravessando a mata atlântica com destino ao topo do morro do Corcovado, onde está instalado uma das sete maravilhas do mundo, a estátua do Cristo Redentor. Aos pés do Cristo se desfrutar da vista da cidade do Rio de Janeiro, do mar e da Baia da Guanabara. O meu horário preferido para subir é as 17h, pois pode-se contemplar o espetacular anoitecer.

Resultado de imagem para cristo redentor ao entardecer



Também estão situados em Laranjeiras:

1 - Palácio da Guanabara
Resultado de imagem para Palácio da Guanabara
Sede do governo do Estado do Rio de Janeiro

2 - Palácio Laranjeiras 
Resultado de imagem para Palácio Laranjeiras
Residência oficial do Governador do Estado do Rio de Janeiro

3 - Parque Guinle 
Resultado de imagem para Parque Guinle
Originalmente eram os jardins da mansão Eduardo Guinle, projetado pelo paisagista francês Gerard Cochet e com intervenção de Burle Marx. Atualmente a mansão é o Palácio Laranjeiras.

4 - Sede do Fluminense Futebol Clube 
Resultado de imagem para Sede do Fluminense Futebol Clube
O Estádio Manoel Schwartz, mais conhecido como Estádio das Laranjeiras, foi o local onde o tricolor carioca teve seus jogos durante décadas, porém, para mais segurança em função da grande demanda de público em seus jogos, atualmente só realizam seus treinamentos.



  • Santa Teresa
Resultado de imagem para bairro santa teresa

Os romances Iaiá Garcia, Quincas Borba e Um Erradio foram ambientados em Santa Teresa, no Centro da cidade do Rio de Janeiro. O bairro possui uma exclusiva localização no alto de uma serra entre as zona sul e a central e é conhecido pelas construções históricas do século XIX. Mas o principal diferencial do bairro é que foi o único da cidade que manteve o bonde como meio de transporte até os dias de hoje. 



  • Rua do Ouvidor 
Resultado de imagem para rua do ouvidor

A Rua do Ouvidor é citada em várias obras de Machado de Assis. É nela que Brás Cuba reencontra Virgília (Memórias Póstumas de Brás Cuba) e Bentinho passeia (Don Casmurro). 

O autor também passava nessa rua todas as tardes no caminho do jornal para a Confeitaria Colombo na Rua Gonçalves Dias.

Resultado de imagem para confeitaria colombo

A confeitaria foi fundada em 1894 e sua arquitetura e ambiente nos faz imaginar como seria frequentá-la no passado. Atualmente, todas as tardes tem fila para ocupar uma mesa no salão e degustar das delícias do cardápio. Particularmente, acho muito difícil escolher, pois tudo é delicioso, mas os meus preferidos são o tradicional chá completo e o camarão empanado. Só em escrever sobre isso já estou salivando...

                             Resultado de imagem para confeitaria colombo  Resultado de imagem para confeitaria colombo


Além de Machado de Assis, os clientes famosos da Confeitaria Colombo são, entre outros, Chiquinha Gonzaga, Olavo Bilac, Rui Barbosa, Villa-Lobos, Lima Barreto, José do Patrocínio, Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek, Alberto I da Belgica e Isabel II do Reino Unido.



  • Academia Brasileira de Letras

Resultado de imagem para academia brasileira de letras

A ABDL é uma instituição literária brasileira fundada em 20 de julho de 1897 pelos escritores Machado de Assis, Lúcio de Mendonça, Inglês de Sousa, Olavo Bilac, Afonso Celso, Graça Aranha, Medeiros e Albuquerque, Joaquim Nabuco, Teixeira de Melo, Visconde de Taunay e Ruy Barbosa.

Seu objetivo é cultivar a língua e a literatura brasileira e é responsável na edição de obras de grande valor histórico e literário.
A Academia tem 40 cadeiras ocupadas por membros efetivos perpétuos, sendo cada membro eleito pelos acadêmicos para ocupar uma cadeira vazia por falecimento do último titular.

Imagem relacionada
Na entrada da ABL tem uma estátua de bronze de primeiro presidente fundador Machado de Assis.




  • Cemitério São João Batista

Resultado de imagem para Cemitério São João Batista

Localizado no bairro de Botafogo, o São João Batista é o único cemitério da zona sul da cidade e por sua importância histórica e artística é considerado uma atração turística e consta no roteiro cultural da cidade do Rio de Janeiro.

Em 2015 tornou-se o primeiro cemitério da América Latina a entrar no Google Street View, permitindo o tour virtual pelo seu interior. E os jazigos de personalidades famosas receberam placas de QR Code, permitindo a obtenção de informações sobre seus ocupantes.

É conhecido com o "cemitério das estrelas" pela quantidade de famosos ali sepultados. A Academia Brasileira de Letras possui uma cripta onde estão seus membros falecidos, além de Machado de Assis. Também foram sepultados ali, entre muitos, Tom Jobim, Santos Dumont, Roberto Marinho, José de Alencar, Cazuza e Oscar Niemeyer.

  • Frases de Machado de Assis

  • Cada qual sabe amar a seu modo; o modo, pouco importa; o essencial é que saiba amar.
  • Creia em si, mas não duvide sempre dos outros.
  • A vida sem luta é um mar morto no centro do organismo universal.
  • Botas... as botas apertadas são uma das maiores venturas da terra, porque, fazendo doer os pés, dão azo ao prazer de as descalçar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário. Te aguardo novamente.